quinta-feira, 31 de julho de 2008

Algumas travessuras de Paulo André.

INFÂNCIA

No baú
o velho carretel
a vela
o barbante.

A pequena e saudosa estrada.

O carrinho roto no piso
Cinzas do velho menino.



Paulo André, Poeta e contista do Picado...

Para os amigos Sandro Ornellas, Lupeu Lacerda,Gustavo Rios, Lima Trindade,Renata Belmonte e a todos os amigos que acompanham o "Entre Aspas".Enfim , a todos, todos mesmo.

6 comentários:

Gustavo Rios disse...

é isso mesmo, bróder! saudações

Nelson Magalhães Filho disse...

Muito bom. Grande abraço.

Palavras e co-lirius disse...

Caracas...que crueldade! Não gosto de pensar em cinzas quando vejo que já fui menino e agora sigo rumo ao fim, e não sou Fênix!
Rsrsrs. Muito bom, Paulo.

Renata Belmonte disse...

Super obrigada! Fico feliz!:)

SANDRO ORNELLAS disse...

Valeu, Paulo!

Álvaro Andrade disse...

meninos e cinzas são palavras que não deviam andar juntas...