terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

FENDAS

Eu não sou eu

eu sou o outro

o ouro que entristece os dentes

Eu sou um sopro

A faca que vomita

as tripas

eu sou um gozo...

o ar

a voz

O osso

EDSON OLIVEIRA DA SILVA reside em Santo Estevão - BA. Cumpre mestrado em literatura e diversidade cultural pela UEFS.

4 comentários:

anjobaldio disse...

Como dizia Rimbaud: "O eu é um outro".

Lidi disse...

Edson, não sabia da sua veia poética! Parabéns! Bela surpresa!

ronaldo braga disse...

eu sou o não outro no outro de mim.
quem não sou eu? eu.
um poema pra respirar.
ler com as narinas.
www.ronaldobragas.blogspot.com

SANDRO ORNELLAS disse...

Muito legal! Gostei dessa lista de auto-definições, das relações sonoras e tal...