terça-feira, 1 de janeiro de 2008

PARA COMEÇAR 2008...

L’AFFAIRE

Na véspera de Ano Novo
Abandonou a família
(esposa, três filhos e sogra)
Instalou-se num quarto de hotel
E chamou a namorada.

Ela, dezenove anos
Ele, trinta e sete.
As idades que os jornais divulgaram
No dia seguinte...

MAYRANT GALLO. Poeta e contista. O poema acima integra o livro inédito Os prazeres e os crimes.

3 comentários:

Lidi disse...

Mayrant, maravilhoso poema! Você sempre com os finais surpreendentes, tanto na prosa quanto na poesia! E, além da surpresa, o final não precisa ser detalhado, entendemos tudo... nas entrelinhas... eu adoro isso! Parabéns, Mayrant! Parabéns! Feliz 2008 para você e para os meninos do Entre Aspas! Abraços!!

anjobaldio disse...

Humor corrosivo. Muito bom. Grande abraço.

Palavras e co-lirius disse...

Como sempre, Mayrant nunca diz com as palavras que adota em seus contos e poesias, mas as usa como cerca de pau-a-pique em círculo, cujos significados estão presos nelas e por elas bem ali dentro, basta olharmos para o centro!
Grande mestre!