quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

UMA CALCINHA

A calcinha estendida no quintal
de uma brancura insípida
é uma calcinha de menina.

A calcinha de menina no quintal
era o que restava
da menina,
das formas da menina.

PAULO ANDRÉ (1978). Mora em Picado. Co-editor do Blog. Poema originalmente postado no blog Contramão (mgallo.zip.net) em 01/09/2006.

3 comentários:

SANDRO ORNELLAS disse...

metonímia voyeur

anjobaldio disse...

Simples e sensível.

Flavia disse...

E logo, nem calcinha de menina haverá...

Bjs!