segunda-feira, 30 de abril de 2007

"Perfil"(3)

AUSÊNCIA


Há um vácuo de mulher em minha alma,

uma ausência — física e dolorosa —

de mulher em minha alma.

Como veio, não sei.

De quem veio, não sei.

Sei que há um vácuo de mulher em minha alma

— físico e doloroso —

como a falta de pão num dia santo.


Elieser Cesar (1960) é natural de Euclides da Cunha – BA. É poeta, ficcionista, jornalista e professor universitário. Tem publicado O Azar do Goleiro (novela, 1989), O escolhido das sombras (contos, 1995), Os Cadernos de Fernando Infante (poemas, 1997) e A Garota do Outdoor (contos, 2006). Integra a antologia A Poesia Baiana no século XX, organizada por Assis Brasil em 1999.

4 comentários:

Anônimo disse...

Elieser, andava com saudades de sua poesia, de seu lirismo. Adorei o poema! Um abraço, Ângela.

Mayrant Gallo disse...

Um belo e invejável poema, este, de Elieser Cesar.

Mônica disse...

Que lindo esse poema!!! Nem tenho plavras. Que lindo!!!

Anônimo disse...

Esse poema é maravilhoso