sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Com a Palavra...

VANESSA BUFFONE


1) Por que você escreve?

Tenho lido e ouvido alguns escritores contar porque escrevem. Agora mesmo ouço Rilke, em Cartas a um jovem poeta; Nélida (nada melhor que escritor vivo!), numa entrevista junho passado a ElPais, jornal aqui da España. Eu mesma carrego dentro de mim essas respostas e tantas outras de outros escritores que me inspiram, de escritores amigos, de artistas. Ou seja, um mundo de vozes fala dentro de mim quando ouço essa pergunta. Então vejo que escrevo justo por isso, porque busco ouvir minha voz; minha voz límpida e clara para mim, dentro deste mundo tão grande e de tantas vozes.


2) O que você gostaria de escrever e por quê?

Tanta coisa. Sinto tanta vontade de beleza. Agora estou descobrindo o mundo em castellano e em inglês. A gente é outro em nova língua. Estou traduzindo As casas onde eu morei para o inglês e o castellano. Versão ampliada e corrigida, como eu.

Tem também a música como novidade. Um poema meu foi musicado por José Padilla (criador do Chill Out e do Café del Mar). Eu coloquei voz também. A música está no CD Café Solo 2 (na internet vocês encontram), coletânea de música chill out. Gostamos muito do resultado, tanto que vamos fazer um CD nosso, apenas com Chill out & literature. Não só poemas, mas também trechos de contos. Selecionamos trechos de Tutaméia; poemas de Neruda, do Livro das Perguntas. Estou escrevendo poemas novos, e adoraria ver poemas e contos de Adelice, Belmonte, Mayrant.


VANESSA BUFFONE (Rio de Janeiro, 1976), reside em Ibiza, Espanha. É advogada e poeta. Em 2004, participou da coletânea Os outros poemas de que falei, editado pelo Banco Capital. Em 2005, conquistou o Prêmio Braskem de Cultura e Arte, com o livro As casas onde eu morei. Integra o Dicionário de escritores baianos, editado pela Secretaria de Cultura e Turismo e da Fundação Cultural do Estado da Bahia em 2006. Participa da coleção "Poetas da década de 2000", coordenada por Marco Lucchesi, com lançamento previsto para 2007. Coordenou o projeto Malungos, para dar voz à literatura baiana contemporânea, realizado em Salvador, BA, ora na gaveta, esperando verba para trazer tanto poeta baiano a Ibiza. Durante todo este ano, a autora estará entre Espanha e Londres gravando o CD de Chill Out & Literature, com o ícone e criador da música Chill Out, José Padilla. Uma das músicas já gravadas, Voltar, tem voice & lirics da autora, extraída do poema, Costureirinha. Está na nova coletânea de José Padilla, Café Solo 2.


Crédito da foto: José Padilla, em Bonete, São Paulo, 2007.





8 comentários:

Mayrant Gallo disse...

Originais e bem simples, estas respostas de Vanessa. Aliás, como a própria Vanessa, e seu livrinho (que só é pequeno no formato). Ótima escolha trazê-la aqui.

joão filho disse...

Vanessa, minha linda! Como vai vc? Ótimo ver seu rosto e respostas aqui no Entre Aspas. Um grande abraço e vida longa.

Juju Fraldinha disse...

Para todos os entrevistados e / ou possíveis:

Criticar é um pecado,
só se for pra falar bem.
Literatura de mercado,
mas não vende um vintém.

Guilherme disse...

Para Juju Fraldidnha, quem quer que seja (e não é difícil saber, não aqui na Bahia, terra de santos despeitos): "A má literatura é para ser esquecida; não levá-la nem para morte, quanto mais para a vida..." E infelizes dos imbecis, que perdem tempo em criticar o que não presta, quando deveriam elogiar o que é bom, para que mais pessoas tenham prazer e cheguem a conhecimentos relevantes. E, além do mais, pecado é coisa de... Deixa pra lá!

Renata Belmonte disse...

Nessa,
Sinto saudades de você e de sua poesia!
Beijos,
Renata

Mônica Menezes disse...

"Porque busco ouvir minha voz". Gosto tanto dessa resposta, Vanessa.

Ayeska disse...

vanessa tem beleza, por fora e por dentro.É sempr um prazer vê-la e ouvir a sua voz.Ayêska

Ayeska disse...

Vanessa tem beleza, por fora e por dentro. É sempre um prazer ouvir sua voz.