quarta-feira, 8 de agosto de 2007

"Perfil" (21)

OUVINDO MÚSICA

passeio de bonde

maio florido

moça morta

bartók às pampas



nunca julgue o dissonante pedido

pode ser a amante

num piano velho



a própria vida em ritornello


O HORIZONTE CINZA SOPRA

A tarde é longa

e a vida, breve.



Não me amas.



(Cada gesto do relógio
conta)


CONFISSÃO

Em meu aniversário
dois goles d´água
e a lua


ESPERANÇA

Tua xota no soldado morto.


JOAQUIM GAMA DE CARVALHO (1981) é formado em Letras. Tem um único livro publicado, Esperança crispada (Feira de Santana: Edições Cordel, 2004), volume em que divide as atenções com mais dois poetas: Tito Gonçalves e Bruno Carvalho.

4 comentários:

Gustavo disse...

e eu li. e fiquei sacando. e achei bacana.

Ernesto Silva disse...

Não entendi: Esperança - Tua xota no soldado morto. Confesso que não entendi. Era pra ser uma tirada surrealista? Conheço Joaquim, grande figura, e um conhecedor profundo de música clássica. Um pessoa honesta e inteligente. Mas seus poemas deixam muito a desejar.

Guilherme disse...

Poesia não é para entender. "Entender é parede/ Procure ser uma árvore" (Manoel de Barros). E se a metáfora não é compreendida, bem, o problema é do leitor...

Anônimo disse...

Joaquim,

grande companheiro que bom vê-lo no entreaspas, ouvir sua poética dissonante e irônica. Ernesto, que me desculpe, mas acho que ele entende pouco de poesia.

Paulo.