quarta-feira, 22 de agosto de 2007

"Perfil" (23)

INVENÇÃO

Como inscrever teu nome na noite,
se te inventei, e teu rosto é sombra
repousando leve no mundo?

Como esperar que me reconheças,
se são nuvens teus olhos, e tua presença
sempre desaparece em total silêncio?

Como te tocar, ao menos em sonho,
se é densa a névoa que nos separa,
e imensa a distância que te enlaça?

Como te manter, enfim, em minha casa,
se te inventei ágil, invisível, oscilando
na transparência vaga de uma lágrima?


ÂNGELA VILMA (1967) é poeta e professora. Mora em Salvador. Participou da coletânea Tanta Poesia (Banco Capital, 2006).

13 comentários:

Renata Belmonte disse...

Amo a poesia da Ângela!

SANDRO ORNELLAS disse...

Bonito poema, Ângela. As perguntas já têem as respostas acopladas, sem, no entanto, nos darem uma solução definitiva. Inventamos coisas e pessoas mesmo sem querermos, né?

ângela vilma disse...

Obrigada a Renata, obrigada a Sandro, por palavras tão generosas. Obrigada também a Thiago, amigo que postou este poema. Abraços a todos.

Daniela disse...

Ângela, olha que coincidência: eu estava lendo alguns poemas seus, hoje, e agora te encontro aqui no "Entre Aspas"! E estava lendo os poemas tão entretida, que quase perdi o horário de um compromisso (rs). Gosto disso, sabe, de sentir como se o poema fizesse parte de mim. E os seus poemas são assim. Me vestem bem. Beijo!

Gustavo Rios disse...

a gente sempre inventa o melhor pra gente. amor, futuro e outras ondas. mas nem sempre é assim. e, muitas vezes, por isso mesmo, acaba se convertendo em surpresa boa. ou ruim. igual à livros que nunca lemos. mas que num dia, a gente resolve dar um saque. e para umas noites apenas pra ler o dito cujo. bonito e tocante. é o que me vem de mais sincero neste minuto. "Como te manter, enfim, em minha casa,
se te inventei ágil, invisível, oscilando
na transparência vaga de uma lágrima?". abçs e vida longa

Carlos Barbosa disse...

Ângela Vilma tem toda minha admiração, como poeta e pessoa. Abr. Carlos Barbosa

joão filho disse...

Ãngela, belíssimo poema. Música e sentidos devidamente conjugados. Um grande abraço e vida longa.

ângela vilma disse...

Daniela, Gustavo Rios, Carlos Barbosa:
que bom ouvir vocês. Obrigada pelo carinho.

ângela vilma disse...

... E João Filho também: obrigada pela delicadeza em falar de minha poesia. Grande abraço.

Mônica Menezes disse...

Ângela, que bom encontrá-la aqui de novo. Seu poema é lindo, diz tanto ao meu coração.
Beijos

Personagem Principal disse...

Ela já tem toda a minha admiração tb.

Kátia Borges disse...

Ângela, lindo poema. Vc é uma das poetas de que mais gosto, um presente num domingo sem sonho.

ângela vilma disse...

Como agradecer tantas coisas lindas que vocês dizem sobre minha poesia?
Mônica, que saudade!
Personagem, também te admiro muito!
Kátia, que lindas palavras!